Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione Esc para cancelar.
A luta dos professores é uma luta de todos?
23 de abril de 2019

Na luta por uma educação pública de qualidade, professores seguem em greve em vários Estados do Brasil. O alto número de estudantes por educador, assim como baixos salários e péssimas condições de trabalho são as principais reclamações dos educadores.

Os professores da rede estadual de São Paulo estão em greve desde o dia 16 de março. Em Curitiba 65 mil docentes tentam barrar a aprovação do pacote de austeridade do governador Carlos Alberto Richa (PSDB). Em Campinas (SP) a greve começou 13 de março e nesta quinta-feira contou com nova manifestação. No Paraná as escolas estão fechadas desde 9 de fevereiro. Foram registradas paralisações temporárias em alguns municípios baianos, e em Pernambuco e em Rondônia os professores também se manifestaram em apoio. No Distrito Federal as aulas voltaram na segunda-feira passada, após uma semana de greve.

Estudantes de diferentes localidades já se manifestaram em apoio aos seus professores, reconhecendo a necessidade de investimento na área. Cerca de cem estudantes da escola estadual Doutor Júlio Prestes de Albuquerque, realizaram uma passeata nesta quarta-feira no Centro de Sorocaba (SP).

O fato do governador Geraldo Alckmin ter demitido 21 mil professores e já ter reajustado o seu próprio salário sem atribuir nenhum aumento a categoria de professores da rede, causou bastante revolta no Estado de São Paulo, onde há racionamento de água nas escolas.

A crise na educação brasileira não é de hoje, o país conta com cerca de 40 milhões de analfabetos funcionais segundo a UNESCO.

Os professores são a categoria profissional que mais adoece pelas péssimas condições de trabalho. O descaso das autoridades com os profissionais que cuidam de nossas Crianças é um descaso com todo o país.

Os professores da rede estadual de São Paulo estão em greve desde o dia 16 de março. Em Curitiba 65 mil docentes tentam barrar a aprovação do pacote de austeridade do governador Carlos Alberto Richa (PSDB). Em Campinas (SP) a greve começou 13 de março e n

Artigos Relacionados

Quem viver verá

Quem viver verá

É sempre muito difícil perceber uma revolução, enquanto ela acontece. Apenas ao passar dos anos,...

ler mais
Aislan Munin
Pai da Liz. Membro cooperado do Portal da Educadora, Estudou Ciências Sociais na PUCSP e FESPSP, autodidata em Sistemas Web, uniu as duas áreas trabalhando como sócio-educador lecionando Introdução a Informática.