Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione Esc para cancelar.
Após conflito com professores e estudantes secundaristas governo Alckmin é investigado por corrupção na distribuição da merenda escolar
23 de abril de 2019

O esquema de corrupção envolvendo a distribuição da merenda escolar no governo Geraldo Alckmin (PSDB) acontece pouco tempo depois deste mesmo governo utilizar gás lacrimogênio, bala de borracha e o cassetete policial para abafar a histórica greve dos professores do Estado de São Paulo e a luta dos estudantes secundaristas por melhores condições na rede pública de educação.

Ao menos 22 cidades do Estado de São Paulo podem estar envolvidas no esquema que envolve a distribuição da  merenda nas escolas. Seis suspeitos que já foram presos relataram um plano abrangendo pagamento de propina a funcionários públicos para que licitações destinadas à compra de merenda escolar fossem fraudadas em benefício da Coaf, uma das cooperativas responsáveis pela distribuição da merenda. Em delação Cássio Chebbai, dirigente da cooperativa, confessou que aceitou acordo.

O desembargador Sérgio Rui, do Tribunal de Justiça de São Paulo, autorizou a quebra de sigilo bancário e fiscal do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Fernando Capez (PSDB), e de dois ex-assessores do governo Alckmin; Luiz Roberto dos Santos, o ‘Moita’, Casa Civil, e Fernando Padula, Secretaria da Educação. Eles estão sendo investigação por corrupção, tráfico de influência e organização criminosa na denominada Operação Alba Branca. Outros nove investigados tiveram a quebra de sigilo decretada, inclusive a cooperativa Coaf.

Enquanto o governador justifica o fechamento de escolas e salas de aula para reorganização pedagógica e otimização dos custos, parece que parte do orçamento público, que deveria ser utilizado para qualificar a rede, está sendo desviada para o beneficio próprio de alguns poucos.

No último clássico envolvendo Corinthians e São Paulo a torcida organizada Gaviões da Fiel cantou e ergueu faixas em protesto contra corrupção do governo do estado, das confederações de futebol e contra Rede Globo de televisão. 

 

 

O esquema de corrupção envolvendo a distribuição da merenda escolar no governo Geraldo Alckmin (PSDB) acontece pouco tempo depois deste mesmo governo utilizar gás lacrimogênio, bala de borracha e o cassetete policial para abafar a histórica greve dos prof

Artigos Relacionados

Quem viver verá

Quem viver verá

É sempre muito difícil perceber uma revolução, enquanto ela acontece. Apenas ao passar dos anos,...

ler mais
Aislan Munin
Pai da Liz. Membro cooperado do Portal da Educadora, Estudou Ciências Sociais na PUCSP e FESPSP, autodidata em Sistemas Web, uniu as duas áreas trabalhando como sócio-educador lecionando Introdução a Informática.