Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione Esc para cancelar.
Consulta revela a importância da formação continuada para a educação Matemática no Brasil
18 de junho de 2018

Estudo do Mathema traz expectativas de professores para ações que façam a diferença na sala de aula e na aprendizagem dos estudantes.

Mais de 1.800 professores de todas as regiões do Brasil (60% deles no Sudeste) participaram da consulta “Eu Ensino Matemática: a formação continuada que quero” com o objetivo de compreender quais aspectos são essenciais na formação do educador que ensina Matemática e têm potencial para fortalecer a aprendizagem dos estudantes.

O investimento em políticas para a melhoria do ensino de Matemática é fundamental, já que é possível observar, pelo QEdu (ferramenta que utiliza tecnologia e dados para auxiliar professores e gestores públicos a tomarem melhores decisões baseadas em evidências), que a maioria dos alunos não tem o aprendizado adequado ou não aprendeu as habilidades esperadas para a sua série.

Entre os resultados obtidos com a consulta, os respondentes elencaram como os principais motivos para os baixos indicadores de Matemática no Brasil a metodologia de ensino inadequada (32%), a formação inicial dos professores (19%) e a formação continuada insuficiente (14%).

Neste cenário, os educadores acreditam na importância dos cursos de formação continuada para a melhoria dos processos de ensino. Aliás, a aprendizagem do estudante ficou em primeiro lugar na decisão do professor em buscar esses cursos (ao contrário do que muitos pensam, currículo e progressão de carreira não são os principais fatores decisivos nesse processo).

A consulta “Eu Ensino Matemática: a formação continuada que quero” foi desenvolvida pelo Mathema (instituição que há 20 anos pesquisa e desenvolve métodos pedagógicos inovadores para melhorar a qualidade do ensino de Matemática) em parceria com a Rede Conhecimento Social. O projeto foi criado para descobrir quais aspectos são essenciais na formação do professor de Matemática, dando voz aos educadores para que eles expressem suas insatisfações e apontem os caminhos para a melhoria da educação continuada.

“Compreender os interesses e as necessidades dos professores é o ponto de partida para que possamos oferecer a eles uma formação continuada que faça efetivamente a diferença na sala de aula e, consequentemente, na aprendizagem dos alunos”, explica Katia Smole, sócia-diretora do Mathema.

Consulta

O material foi feito a partir da metodologia de PerguntAção, que envolve o público pesquisado em todas as etapas do processo, desde a reflexão sobre o tema, a concepção do questionário, a mobilização para a coleta de respostas e a análise dos resultados.

Participaram da consulta educadores que ensinam Matemática em escolas da rede pública ou privada no Brasil, da Educação Infantil ao Ensino Médio.

A consulta traz diversos dados, como os que mostram os motivos para os baixos indicadores de Matemática no Brasil, o que pesa na decisão de fazer um curso de formação continuada e os aspectos ou habilidades fundamentais de um bom professor de Matemática.

O Mathema acredita que os resultados dessa consulta podem ser capazes de nortear a criação de novos projetos e políticas de formação continuada em Matemática, essenciais para a transformação da educação do país.

O relatório com as principais descobertas da consulta pode ser baixado no site www.mathema.com.br/euensinomatematica.

Artigos Relacionados

Quem viver verá

Quem viver verá

É sempre muito difícil perceber uma revolução, enquanto ela acontece. Apenas ao passar dos anos,...

ler mais
Aislan Munin
Pai da Liz. Membro cooperado do Portal da Educadora, Estudou Ciências Sociais na PUCSP e FESPSP, autodidata em Sistemas Web, uniu as duas áreas trabalhando como sócio-educador lecionando Introdução a Informática.