Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione Esc para cancelar.
Estamos em Greve
23 de abril de 2019

Por todo o país professores aguardam melhorias que possam traduzir de fato o slogan “Pátria Educadora” em uma realidade. As péssimas condições de trabalho associadas a salários vexaminosos paralisam escolas em diferentes estados, com os professores em greve lutando nas ruas por melhorias nas políticas públicas voltadas a educação.

Estudo realizado pela consultoria Gems Education Solutions em 30 países coloca o Brasil dentre os piores do mundo. A pesquisa assinala que os educadores brasileiros ganham salários acima apenas de Hungria e Indonésia. Os países que melhor remuneram seus educadores são Suíça, US$ 68,8 mil, e  Holanda, US$ 57,8 mil.

No Brasil os educadores são responsáveis por mais estudantes na sala de aula, com média de 32 alunos, comparado com 27 do Chile que ocupa o segundo lugar. Por estas e outras questões, o sistema educacional brasileiro aparece assim como o mais ineficiente da lista.

O investimento público em educação chegou a 6,1% do PIB brasileiro, acima da média da OCDE de 5,6%, o que demonstra também o péssimo gerenciamento da verba pública.

Mesmo diante deste cenário o governo paranaense aprova uma redução nos benefícios previdenciários dos professores do Estado e responde as reivindicações da classe com extrema violência.

Enquanto isto, em São Paulo, professores da rede estadual estão em greve desde 13 de março. O governador Geraldo Alckmin cortou o salário dos professores da rede estadual de educação básica e contrariou o direito constitucional da greve. Não  cumpriu com sua obrigação Constitucional de conferir a revisão anual do salário dos professores e substituiu os trabalhadores grevistas agindo ilegalmente.

Como se não bastasse o novo ministro Renato Janine afirmou na última segunda-feira que os recursos do Fies, programa do Ministério da Educação destinado a financiar a graduação na educação superior de estudantes matriculados em instituições não gratuitas, estão esgotados, prejudicando estudantes de todo o país.

Contudo a Câmara dos Deputados trabalha para aprovar a redução da maioridade penal para um país que não cuida de suas Crianças.

Por todo o país professores aguardam melhorias que possam traduzir de fato o slogan “Pátria Educadora” em uma realidade. As péssimas condições de trabalho associadas a salários vexaminosos paralisam escolas em diferentes estados, com os professores em gre

Artigos Relacionados

Quem viver verá

Quem viver verá

É sempre muito difícil perceber uma revolução, enquanto ela acontece. Apenas ao passar dos anos,...

ler mais
Aislan Munin
Pai da Liz. Membro cooperado do Portal da Educadora, Estudou Ciências Sociais na PUCSP e FESPSP, autodidata em Sistemas Web, uniu as duas áreas trabalhando como sócio-educador lecionando Introdução a Informática.